Lutar contra a maré dos instintos é uma batalha perdida por excelência. Chega um momento em que o estoque de perdão acaba, a cota de relevância chega ao fim e paciência você nem se lembra mais o que significa. Pois bem, não se acanhe. Afinal, somos todos tentados pelo lado negro da força quando escutamos a marcha imperial e andamos entre os mortais. Não existem regras por aqui. Entre e venha festejar conosco a inveja, a intolerância e a incompreensão!

6 de set de 2012

Filosofia consoladora, nem tanto



           É estranho como as coisas são, parei, pensei e conclui, não somos nada além de estranhos, tanto em atitudes, como também em pensamentos, fiquei pensando sobre isso depois de uma reflexão, ao expor um pensamento simples a uma pessoa em uma caminhada curta ontem, acho que a nossa imaginação não "desevoluiu" desde a nossa infância, acredito mais é que ela tenha perdido um pouco da pertinência em nossas vidas, mas tanto faz, já que nos acostumamos a não dar tantas importância a tudo aquilo que nos abala, enfim...
vamos em frente, e deixemos que o mundo continue em seu movimento imperceptível, e também inabalável, as coisas vão de uma maneira ou de outra, e no final as coisas parecem sempre seguir o seu curso normal; Porém depois dessa reflexão comentada anteriormente, percebi que nada segue o curso normal, as coisas seguem o curso que vamos determinando a cada encruzilhada do destino.

Um  grande abraço aos que concordarem com a postagem, e um pedido de debate a quem discorde, precisamos urgentemente elevar o nosso pensamento crítico...


Imagem dessa postagem: Google imagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário.