Lutar contra a maré dos instintos é uma batalha perdida por excelência. Chega um momento em que o estoque de perdão acaba, a cota de relevância chega ao fim e paciência você nem se lembra mais o que significa. Pois bem, não se acanhe. Afinal, somos todos tentados pelo lado negro da força quando escutamos a marcha imperial e andamos entre os mortais. Não existem regras por aqui. Entre e venha festejar conosco a inveja, a intolerância e a incompreensão!

5 de set de 2011

Briga de rua


     Nessa manhã, ouvi uma noticia perturbadora: Punks e skinheads, tiveram uma participação ativa, fazendo sucesso em frente a uma festa punk.
    Com um enorme ponto de interrogação, me fiz uma pergunta, que acabou derivando varias outras, até onde uma coisa tao banal, feita com o único intuito de divertir, como a musica pode influenciar uma personalidade que só pode ser considerada por mim, como indefinida, ou no minimo frágil, não consigo realmente entender, o que motiva uma besteira tão grande assim... e mais, se eu não gosto de axé music, o que eu vou fazer em uma festa assim? ou pior, por que vou estragar a festa das pessoas que gostam? Colocando ate mesmo a minha segurança em risco.

     Penso que a maioria das pessoas encararam esse fato como algo natural, afinal a violência esta dentro de nós, mas eu particularmente, discordo veemente, pois prefiro tentar amar e mudar as coisas...

Quando vamos nos preocupar com o outro?
Quando vamos aprender a respeitar a diferença?
Quando vamos cuidar uns dos outros?
Vai aí uma musiquinha pra quem pensa como eu...abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário.